terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A clássica e quente modernidade de Arthur Nogueira.

Foto: Ana Alexandrino
A doce arte de poesia associada à forte energia pulsante da música paraense. Entre compor canções, poemas ou expressar-se como figura, fica difícil dizer em qual o jovem +Arthur Nogueira mais se destaca. Aos 25 anos, sua voz grave cativa um seleto público, agregando seu nome à nata dos paraenses que despontam em um celeiro artístico que não para de crescer.
Herdeiro de uma cultura musical selecionada, regada a Maria Bethânia, Chet Baker e Adriana Calcanhotto, começou aos 15 anos sua carreira em casas noturnas, interpretando sons de MPB, jazz e bossa nova, em Belém. As composições surgiram naturalmente, traduzindo inspirações tradicionais, abrindo espaço para o contemporâneo, o que é notório na variedade e na emoção, em sua discografia: ‘Arthur Nogueira’ (2007), ‘Mundano’ (2009), EP Virtual ‘Mundano+’ (2010) e seu mais novo trabalho ‘Entremargens’ (2013).
Foto: Ana Alexandrino
O poeta carioca Antonio Cícero o define como um artista cujas canções servem ao próprio intérprete para interpretar a luz e o mistério que percebe, no mundo em que vive. Além de Cícero, o paraense conta com uma larga e exuberante lista de parceiros: Dand M (Belém), Manuel A. Domingos (Manteigas/Coimbra), os cariocas Ramon Nunes Mello e Omar Salomão. Em seu repertório gravado, destacam-se composições do próprio Antonio Cícero, Marina Lima, Filipe Catto, +Felipe Cordeiro e Vital Lima.
Já tive o prazer de acompanhar seu show no festival Se Rasgum, além de suas participações em alguns shows da +Luê, todos regados a emoção e poesia, como poucos vistos no cenário nacional.
Entremargens (2013)
Com maestria, em seu mais recente vídeo, lançado no YouTube, interpreta sua própria arte, na canção ‘Preciso Cantar’, da autoria de Dand M, dedicada a Cida Moreira, referência e inspiração de ambos. No vídeo, a própria também participa.
Por sinal, altamente recomendável acompanhá-lo nas redes sociais, sempre muito bem alimentadas com músicas, vídeos e poemas.
Original. Belo. Consistente. Avassalador. Música para os ouvidos, beleza para os olhos e arte para a vida.

Um comentário:

Alê disse...

Vc já ouviu falar no Danniel Lima? É um cantor e compositor com uma veia Pop que flerta com estilos regionais porém com arranjos inovadores e antenados. Adriana Calcanhotto dei uma musica inédita pra ele chamada ABRIL. Joga no YouTube e confere. Muitos dizem que ele é a voz masculina que faltava aqui em Belém...

Abraço e parabéns pelo blog.