quarta-feira, 2 de maio de 2012

Colesterol elevado pode causar impotência sexual.


A obesidade e o colesterol alto, tecnicamente chamado de dislipidemia, são os principais fatores associados à disfunção erétil. Deixando para trás outras doenças que são conhecidas como fatores de risco para a impotência masculina, como diabetes, hipertensão e o tabagismo. Mas nem tudo está perdido: medicamentos adequados e mudança no estilo de vida podem ajudar quem está com o problema.
A disfunção é mais comum do que se imagina. “A dislipidemia pode levar à aterosclerose (obstrução arterial causada pelo colesterol ruim, o LDL), com consequente dificuldade de irrigação sanguínea na região peniana. Mas, antes da aterosclerose se instalar, acontece a piora da função endotelial, um quadro que leva à disfunção erétil”, explica o urologista Helder Machado.
Um estudo realizado recentemente denominado Dyslipidemia contou com 395 pacientes, todos com níveis alterados de gordura no sangue. Eles foram divididos em dois grupos: um recebeu doses de Levitra, medicamento à base de verdenafila, e outro tomou placebo, ambos por 12 semanas. Os homens medicados apontaram tempo de ereção médio de dez minutos, enquanto os que receberam placebo tiveram apenas três minutos de ereção.
Porém, não basta apostar em remédios. No caso da impotência causada por colesterol alto, uma simples mudança no estilo de vida e alimentação já pode fazer a diferença na cama. Especialistas lembram que uma alimentação saudável, associada a exercícios físicos regulares, é a melhor forma de equilibrar as taxas de gordura no sangue, diminuindo o “colesterol ruim” (LDL) e aumentando os níveis de “colesterol bom” (HDL). Evitar o consumo de embutidos (salames, linguiças, presuntos, etc.), carnes gordas e alimentos que contenham gordura trans e saturadas (bolachas, salgadinhos, manteiga, toucinho, etc.), e substituir isso por aliados da boa dieta, como peixe, azeite, frutas, linhaça e aveia, conta pontos positivos para quem quer garantir uma vida saudável e uma boa performance junto à parceira.

Nenhum comentário: