quarta-feira, 11 de abril de 2012

Você Precisa Saber por que a estrela que representa o Pará é separada, na bandeira brasileira.

Este é o ‘Você Precisa Saber’, com curiosidades marcantes para muita gente. Aquelas dúvidas que muita gente tem, porém a preguiça não deixa pesquisar ou aquelas informações equivocadas que meio mundo acredita que é verdade.
Nada melhor que comentar sobre a minha terra, na estreia, então, lá vai: Você sabe por que a bandeira que representa o Pará é isolada na bandeira brasileira?
Em primeiro lugar, é importante saber que as disposições das estrelas na bandeira são do projeto original do Poder Executivo e que elas são distribuídas de acordo com as estrelas e as constelações vistas no céu, do Rio de Janeiro, às 8h30’, do dia 15 de novembro de 1889; local e data da proclamação da república. Além disso, a cada dia, as posições se repetem no céu, quatro minutos mais cedo.
As estrelas aparecem invertidas em relação à disposição das mesmas no céu, isso ocorre porque as estrelas na Bandeira Brasileira, devem ser consideradas como vistas por um observador "situado fora da esfera celeste", segundo a lei nº 5.700, de 1 de setembro de 1971. Saiba também que o tamanho das estrelas depende do brilho delas no céu. Então, se você acha que o Pará isolado até mesmo na bandeira, é melhor mudar de ideia.
Uma das mais utilizadas nomenclaturas segue a seguinte regra: Em cada constelação, a estrela mais brilhante recebe o nome de Alfa; a segunda recebe o nome de Beta; a terceira mais brilhante de Gama e assim por todo o alfabeto grego. Temos assim a Alfa, a Beta, a Gama, etc. do Cruzeiro do Sul; a Alfa, a Beta, a Gama, etc. de Escorpião; e assim por diante.
A escolha da estrela que representa cada estado procura estar de acordo com a localização do estado no território brasileiro e a da estrela no céu. Assim é que os estados "centrais" do Brasil estão representados por estrelas do Cruzeiro do Sul; estados a oeste estão representados por estrelas do Cão Maior, e assim por diante.
Chegando ao Pará, temos a estrela Spica, ou Alfa de Virgem, é a que representa a terra do açaí, pois no céu se encontra bem ao norte, além disso o Pará, antigamente, era o extremo norte do país, pelo fato de não existirem ainda Amapá e Roraima.
Curiosamente, a estrela Sigma de Octante é a menos brilhante de todas e representa o Distrito Federal.
Em 2009, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou a emenda do Senado Federal que sugere a troca das estrelas correspondentes ao Pará e ao Distrito Federal no círculo da bandeira do Brasil. A proposta é do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), no projeto de lei 350/99. De acordo com Crivella, faria mais sentido a inversão das duas correspondências, sem contar que esta seria a ideia original para as estrelas.
Por enquanto, o topo da bandeira ainda é nosso.

2 comentários:

Cíntia Ribeiro disse...

Eu sempre pensei que a estrela isolada fosse do DF, por ser onde se localiza a capital :-O Mas não concordo que mude agora, depois de tanto tempo, porque, embora poucos saibam, faz parte da história do Brasil.

Anônimo disse...

eu também nao sabia porém penso que fique assim, não ce muda a historia . oque precisa mudar no brasil é a lei que tanto protege politicos corruptos , por exemplo ce a policia federal prende o politico com indicios deveria aguardar julgamento na cadeia .